Como melhorar os assuntos de e-mail marketing na hotelaria  

Como melhorar os assuntos de e-mail marketing na hotelaria  

Os assuntos de e-mail são fundamentais para o sucesso da sua estratégia de marketing, afinal eles estão entre as principais razões para que os clientes abram ou não os seus e-mails, por isso vale a pena reservar um tempo para pensar no que você irá colocar neles.  

No mercado hoteleiro, os e-mails marketing são essenciais na construção de um relacionamento com os seus hóspedes, os ajudando a lembrar do seu resort, hotel ou pousada para sua próxima viagem. 

Mas assim como você, provavelmente os hóspedes recebem vários e-mails por dia, logo o que eles não consideraram interessante ou importante, acabará não sendo lido ou deletado. 

Para que isso não aconteça com os seus e-mails, criamos este conteúdo para falar exatamente de uma tática de persuasão muito utilizada no marketing: os gatilhos mentais.  

Aproveite a leitura!  

Aplicação de gatilhos mentais nos assuntos de e-mail

Os gatilhos mentais são como um “atalho evolutivo” que permite que você tome decisões de forma rápida, sem precisar pensar muito. Por exemplo: você entra em uma loja e já pressupõe que a pessoa com crachá é um funcionário, por isso vai falar diretamente com ela. 

Uma palavra, ação, imagem etc. pode ativar um gatilho, por isso eles são muito utilizados no inbound marketing. Mas que fique esclarecido que eles podem até incentivar uma ação, mas a decisão final é sempre do cliente.  

Vale destacar que os gatilhos mentais são estratégias que te ajudam na escrita dos assuntos de e-mail, então não é o gatilho x ou o gatilho y, que vai aumentar a sua taxa de cliques, mas sim toda a estratégia de marketing construída com base na sua persona.  

Dito isso, veja agora 7 sugestões de gatilhos mentais que você pode aplicar nos assuntos do seu e-mail:  

Escassez  

Com certeza você já deve ter ouvido a frase “corra, antes que os estoques acabem!”.   

Este gatilho parte do princípio em que damos mais valor aquilo que está em falta ou prestes a acabar. Para utilizar, você deve colocar alguma limitação de quantidade que instigue o seu hóspede a fazer uma ação. Seguem alguns exemplos:  

  • As 10 primeiras reservas ganharão um presente;  
  • Só restam 3 acomodações;  
  • Últimas vagas para o pacote de Natal.  

Este é um dos gatilhos mais utilizados, mas como os demais desta lista deve ser aplicado com moderação.  

Urgência  

Este gatilho é bem similar ao da escassez, mas enquanto no anterior há um limite de quantidade, na urgência há um limite de tempo. Seguem exemplos:  

  • Faltam 3 dias para acabar a promoção de ano novo;  
  • Hoje é sua última chance de reservar;  
  • Se você não reservar agora, vai perder a chance de curtir o verão.  

Apesar de ser um gatilho mental poderoso para incluir nos assuntos de e-mail, ele deve ser utilizado com cuidado para que os hóspedes não se sintam frustrados ou enganados.   

Afinal, quem nunca viu uma promoção que duraria “só 24hrs” ficar dias ativa?  

Especificidade  

Outro gatilho próximo da escassez, é a especificidade, normalmente está associado a um número específico, que passa mais confiança.   

Seguem exemplos de como utilizar nos assuntos de e-mail:  

  • Dos 365 dias do ano, você só tem 30 dias de férias…;  
  • 7 chances para você aproveitar as férias;  
  • Você terá um presente de R$ 127,53 fazendo a reserva hoje. 

Uma dica ao utilizar a especificidade é sempre optar por números ímpares como 1, 3, 5, 7, 9. Eles passam a impressão de serem mais “completos” do que os pares.  

Antecipação  

O gatilho mental da antecipação cria uma expectativa sobre algo que vai acontecer no futuro, ele está muito associado a novidades.  

  • O Dia dos Pais já está chegando…;  
  • Abra o seu e-mail no dia 05/08 que você vai se surpreender;  
  • Comece a programar o seu Natal em família.  

A antecipação é um ótimo gatilho para estimular os hóspedes a reservarem com antecedência, garantindo assim a ocupação do seu meio de hospedagem.  

Ganho  

No gatilho mental do ganho, você traz um benefício que o cliente terá ao se hospedar no seu resort, hotel ou pousada. Para que este gatilho mental funcione, é muito importante conhecer bem o seu público e saber o que ela considera um ganho. Veja os exemplos:  

  • Você quer passar dias tranquilos na praia?  
  • Desfrute de férias preciosas ao lado da sua família;  
  • Seja tratado como um rei em nosso hotel.  

Além de incluir o ganho nos assuntos de e-mail, é interessante apresentar no corpo do e-mail as “provas” de que ele vai alcançar aquele benefício, como “Você quer passar dias tranquilos na praia”, “nosso resort está localizado em frente a uma das praias mais calmas da cidade x”.  

Trazemos mais dicas de como apresentar o seu meio de hospedagem como algo valioso para os hóspedes em nosso artigo sobre percepção de valor, acesse aqui

Curiosidade  

O ser humano é curioso por natureza, então mesmo um tema que a princípio não tenha muita relevância para o hóspede, pode se tornar interessante quando apresentado como um segredo.   

  • Descubra como ter férias incríveis;  
  • O segredo para a sua hospedagem perfeita está aqui;  
  • Você já conhece o nosso café da manhã?  

As perguntas também são uma boa estratégia para instigar ainda mais o seu público, afinal quando surge uma pergunta, queremos saber a resposta.  

Prova Social  

Segundo o gatilho da prova social, decidimos o que é melhor para nós observando o que os outros fazem. Por isso as avaliações e comentários positivos dos hóspedes são tão importantes. Seguem os exemplos:  

  • Veja o que os hóspedes estão falando sobre o nosso hotel;  
  • Saiba por que 83% dos nossos hóspedes retornam em até 6 meses; 
  • 1.863 pessoas já reservaram o pacote de Dia das Mães, vai ficar de fora? 

Você também pode colocar um dos depoimentos do cliente, nos assuntos de e-mail como: “a minha estadia foi perfeita” E no decorrer do e-mail explicar de onde vem este comentário.  

Aplicando os gatilhos mentais é bem provável que os hóspedes abram cada vez mais os seus e-mails e você alcance melhores resultados nas suas estratégias de marketing e vendas.    

O que pode prejudicar a entrega e abertura dos e-mails  

Embora o assunto seja decisivo para os hóspedes acessarem os e-mails, há outros motivos que podem estar por trás da rejeição dos materiais.  

A data e horário  

Muitas vezes o problema não está no e-mail, mas sim nos dias e horários que você está enviando. Por isso é sempre importante analisar o histórico de envio e testar novos dias e horários até encontrar o que tem os melhores resultados.  

Mas para isso é fundamental que você tenha uma ferramenta que disponha desses dados. Aqui na Tribuzana, trabalhamos em parceria com a RD Station, uma plataforma que gerencia estratégias de marketing digital e relacionamento, para verificar o histórico dos contatos de todos os nossos clientes. 

A lista de contatos  

Se os contatos já não vem interagindo a algum tempo, tem cada vez menos chances de voltar a abrir os e-mails. Nestas situações, você pode criar uma estratégia direcionada para restaurar o relacionamento ou em último caso, retirá-los da sua base. 

Também é importante limpar a lista retirando os e-mails inexistentes ou inválidos. Pois, se houver muitos deste tipo, os servidores como Gmail e Outlook podem considerar o seu endereço como um spammer e encaminhar seus e-mails diretamente para a caixa de spam.  

Uso de certas palavras  

Termos que estejam diretamente relacionados a venda também são mal vistos pelos servidores de e-mail, que muitas vezes os apontam como spam. Alguns exemplos são: clique aqui, grátis, off, free, XX% de desconto, promoção, oferta imperdível, etc. 

Outro cuidado importante é com o uso indiscriminado de palavras no imperativo ou que demonstrem uma urgência excessiva como: pare; evite; ganhe; acabe; faça agora, leia agora. Eles também podem levar seu e-mail para a caixa de spam. 

Por isso é bom evitar o uso destas palavras e expressões ao escrever os assuntos de e-mail. 

Gostou do conteúdo? Temos outro texto do nosso blog que fala exclusivamente sobre e-mail marketing para os meios de hospedagem. Nele você encontra outras estratégias detalhadas para atingir melhores resultados através desta ferramenta. Para acessar, clique aqui

Vale a pena conferir! 

Dicas para meios de hospedagem aumentarem o lifetime value

Dicas para meios de hospedagem aumentarem o lifetime value

Com as ferramentas tecnológicas e digitais é possível analisar várias métricas que auxiliam no controle das finanças e no crescimento da receita dos resorts, hotéis e pousadas. Hoje, trouxemos dicas para os meios de hospedagem melhorarem uma destas métricas, o lifetime value.  

Com essas táticas você poderá manter o relacionamento com os seus hóspedes por mais tempo e ainda aumentar o seu ticket médio.   

Boa leitura!  

O que é lifetime value?  

Antes de apresentar as dicas para os meios de hospedagem ampliarem o lifetime value dos seus hóspedes, é fundamental entender primeiro o que este termo significa.  

Lifetime value, também conhecido pela sigla LTV, é uma métrica que estima o valor médio que os seus hóspedes gastam no seu estabelecimento durante o período do relacionamento com você.  

Por exemplo: Maria viajou com sua família durante 5 anos consecutivos para o mesmo hotel nas férias escolares de julho, tendo um ticket médio de R$ 1.000,00 para o estabelecimento. Porém, depois que seus filhos cresceram, ela optou por viajar apenas com seu marido para um destino diferente. Ou seja, seguindo este exemplo, o lifetime value da Maria é R$25.000,00, nesse hotel.  

Mas como chegamos a este número?  

É possível chegar ao lifetime value dos seus hóspedes sem muita matemática, a fórmula básica desta métrica é:  

LTV = ticket médio x número médio de compras ao ano x média de tempo de relacionamento  

Supondo que a média dos seus clientes seja igual da Maria:  

LTV = 1.000 x 5 x 5 = R$25.000,00  

Viu como é fácil?  

Sabendo o lifetime value dos seus hóspedes você poderá identificar quais situações fizeram com que os clientes não atingissem o valor médio e encontrar oportunidades para melhorar o valor arrecadado e a retenção.   

Afinal, o que mais queremos é que os hóspedes retornem, não é mesmo?  

5 dicas para os meios de hospedagem subirem o LTV  

Conheça estratégias que você pode aplicar no seu resort, hotel ou pousada para crescer o lifetime value e por consequência aumentar a receita da sua empresa. 

Ótimas experiências  

Sem dúvidas a experiência é fator decisivo para que o hóspede reserve novamente com você. E essa experiência não resume ao que acontece durante a estadia, mas tudo que está relacionado a sua empresa.   

Hoje, no mundo digital, boa parte da experiência acontece online. 

Por isso queremos reforçar neste texto sobre dicas para os meios de hospedagem, a importância de estar atento a experiência completa que seu hóspede vive com seu negócio, desde o primeiro contato, até no relacionamento pós check-out. 

Muitas pessoas acham mais fácil e cômodo fazer a reserva na internet, por sites de OTA’s ou no próprio hotel, pousada ou resort. Só que, como você já sabe, quando ele faz a reserva por meio de qualquer outro canal que não seja o hotel, você paga um valor de comissão. Com isso, o lifetime value só vai reduzindo.  

Se o seu site é lento e complicado de utilizar, é natural que os clientes escolham fazer a reserva em através de outro canal.  

Para resolver este problema a resposta é muito simples: atualize o seu website.  

Investir em um site rápido, responsivo para mobile e simples de utilizar te dará muito retorno no médio e longo prazo, pois os seus hóspedes irão preferir fazer reservas diretamente com você do que por outro canal.  

Lembrando, este é apenas um pequeno exemplo de como melhorar a experiência e, consequentemente, o LTV. 

 Serviços adicionais   

Esta é uma das dicas para meios de hospedagem que vale por duas, pois incluindo serviços adicionais como decoração romântica, serviço de lavanderia e minibar, além de melhorar a experiência do hóspede, vai aumentar o ticket médio e o lifetime value.  

Mas para que o hóspede utilize estes serviços, ele precisa conhecê-los.   

Então você pode divulgá-los nas suas redes sociais, por exemplo, para que seus clientes comprem esses adicionais na próxima estadia. 

Outra dica para meios de hospedagem relacionada ao site é acrescentar estes serviços no seu motor de reservas, facilitando que os hóspedes adquiram estes produtos/serviços.  

Cashback   

Cashback é um tipo de programa de programas de recompensa e fidelidade, onde os hóspedes recebem um incentivo para as suas próximas reservas.  

Por exemplo: fazendo a reserva diretamente no seu site, após o check-out ele ganha um desconto de 7% na sua próxima tarifa.  

A princípio pode parecer estranho dar desconto para aumentar o LTV, contudo lembre-se que fazendo a reserva diretamente no seu site, você não paga nada mais por isso. Além de ser uma ótima estratégia para fidelizar o hóspede e aumentar a recorrência dele.  

Fidelização e relacionamento  

Para que o cliente retorne mais vezes com você é muito importante construir um relacionamento com ele, mesmo depois do check-out. Para isso, uma das dicas para os meios de hospedagem que querem aumentar o LTV é utiliza é estratégias de e-mail marketing.  

Com uma base leads (contatos) segmentada você pode, por exemplo, enviar e-mails exclusivos para hóspedes que costumam viajar em casal, divulgando a decoração romântica.  

Mas isso só é possível se você utilizar uma ferramenta como o RD Station, que categoriza as informações dos seus hóspedes, permitindo uma comunicação cada vez mais personalizada.  

Indicações e avaliações  

Por fim, as últimas dicas para os meios de hospedagem são relacionadas com as indicações e avaliações, como uma ótima estratégia para aumentar o seu volume de reservas sem aumentar o CAC (custo de aquisição por cliente).  

Afinal, um hóspede que chega até você pela recomendação de um amigo, não gera muitos custos adicionais. 

Fora que as indicações e avaliações, tanto positivas quanto negativas, impactam significativamente na decisão final dos hóspedes. Logo, manter uma boa reputação online também irá auxiliar no aumento do seu lifetime value.  

É natural que quando gostamos de algo façamos uma propaganda favorável a ele. E você também pode estimular os seus clientes a recomendarem o seu resort, hotel ou pousada para os seus amigos e familiares.  

Também incentivar que os hóspedes façam avaliações no Google e em sites de viagens como o Tripadvisor após a sua hospedagem. Dessa maneira, manterá uma imagem positiva e atrairá mais hóspedes para o seu estabelecimento.  

Solicite um orçamento com a Tribuzana Marketing Hoteleiro

Gostou das dicas para os meios de hospedagem aumentarem o seu lifetime value?    

Para implementar todas essas ações nada melhor do que a expertise de uma agência especializada em marketing hoteleiro. 

A Tribuzana, nos seus 6 anos de atuação no mercado hoteleiro, conquistou junto com seus parceiros cases de sucesso em vendas diretas através do Inbound Marketing Hoteleiro. 

E o próximo pode ser você! 

Solicite um orçamento e converse com a nossa equipe de especialistas. 

Google Hotel Ads no Brasil: saiba como usar

Google Hotel Ads no Brasil: saiba como usar

Quer sair na frente dos seus concorrentes por meio dos anúncios pagos? Então precisa levar em conta utilizar o Google Hotel Ads, ferramenta criada pelo tio Google para que os resorts, hotéis e pousadas alcancem os melhores resultados no tráfego pago. 

São diversas as vantagens de utilizar essa estratégia, entre elas o aumento nas reservas diretas, objeto de desejo de muitos hoteleiros. 

Fique por dentro de todas as funcionalidades e benefícios dessa ferramenta nesse artigo completo para investir em marketing hoteleiro de maneira inteligente e obter os resultados que você almeja. 

Boa leitura! 

O que é o Google Hotel Ads?

O Google Hotel Ads é uma maneira diferente de veicular os anúncios pagos de resorts, hotéis e pousadas. Essa ferramenta foi pensada para atingir os possíveis clientes de maneira segmentada, proporcionando resultados mais satisfatórios, de acordo com os objetivos de cada empresa. 

Com essa ferramenta, é possível que meios de hospedagem coloquem seus anúncios no topo das buscas do Google ou do próprio Google Maps, alcançando mais tráfego direto para seu site e sistemas de reservas. 

Se você está se perguntando como isso impacta seu negócio, saiba que, segundo o próprio Google, a página de pesquisas e o Maps atingiram mais de 1 bilhão de usuários. Um número que deixa bem claro o poder de alcance dessa ferramenta. 

Vantagens de utilizar o Google Hotel Ads 

De antemão, vale destacar que somente quem anuncia pelo Hotel Ads aparece no Google Maps, proporcionando chances de venda dentro dessa plataforma. Ou seja, um grande diferencial para seu meio de hospedagem, já que chega com exclusividade por esse canal para oportunidades reais de venda. 

É claro que uma das principais vantagens de investir em Ads é aumentar a visibilidade do seu negócio e chegar até um público que talvez ainda não o conheça, e por meio dessa ferramenta, isso é completamente possível. 

Além de aumentar a visibilidade, você ainda pode destacar para os usuários que chegaram até o seu anúncio os pontos principais do seu meio de hospedagem, como café da manhã, wi-fi gratuito, estacionamento e monitoria infantil, por exemplo. Coisa que não é possível com os anúncios padrões do Google. 

Ah, e isso que nem falamos ainda das taxas que são consideradas 70% maiores para que o usuário chegue até seu site, aumentando o tráfego direto, e 30% maior para reservas diretas pelo seu motor. 

Como ele funciona na prática 

Quando pensamos no Google Hotel Ads, é preciso ter em mente que ele funciona como uma verdadeira vitrine virtual exclusiva para meios de hospedagem, onde aparecerão somente as empresas que atendem a pesquisa feita pelo usuário. 

Isso significa que ele funciona de maneira segmentada de acordo com a pesquisa feita, e expõe as melhores opções para o possível viajante, dando notoriedade para todos que estão investindo por meio do Hotel Ads. 

Além disso, um grande diferencial dessa plataforma é incluir links diretos para o site do meio de hospedagem de cada anúncio em questão e para o motor de reservas, o que garante uma taxa maior de acessos e, consequentemente, de reservas feita por esse canal. Dessa forma, diminuindo as comissões pagas para terceiros. 

E por falar nisso, outra exclusividade do Google Hotel Ads é dar destaque para o site oficial do hotel, e subsequentemente para OTA’s, como Booking, Expedia etc… Ou seja, você sai na frente dos concorrentes que ainda não utilizam essa ferramenta de marketing digital, e ganha destaque sobre as OTA’s. 

Hotel Ads nas pesquisas do Google
Hotel Ads nas pesquisas do Google
Hotel Ads no Maps
Hotel Ads no Maps

Estratégias de lances próprias do Google Hotel Ads 

As estratégias de lances são parte fundamental para o meio de hospedagem que está pesquisando e pensando sobre investir nessa ferramenta do Google. Os lances são responsáveis por impactar diretamente na visibilidade, aumentar a taxa de cliques e, consequentemente, a conversão. 

Esses lances funcionam de acordo com a meta definida dentro da própria plataforma para otimizar ao máximo a eficácia dos seus anúncios, e podem ser divididos em 3 forma no Google Hotel Ads: 

Custo por clique (CPC) 

O primeiro tipo de lance é o “Custo por clique”. Com ele, você estipula um valor máximo para cada clique que seu anúncio receber, deixando tudo planejado antes da ativação e tendo em mente os valores a serem investidos dentro da plataforma. 

Vale deixar claro que o próprio Google alerta que essa estratégia não é recomendada para ser utilizada sozinha, pois limita muito o investimento e os resultados posteriores. Por isso, o mais aconselhável é integrá-lo a outras campanhas com diferentes lances. 

Custo por clique otimizado (eCPC) 

No Custo por clique otimizado, os valores são ajustados automaticamente de acordo com multiplicadores programados previamente. Essa estratégia permite que você controle os lances manualmente para que o próprio sistema altere de forma automática o valor das conversões. 

Eles são mais aconselhados para parceiros que priorizam que suas campanhas se ajustem automaticamente de acordo com o desempenho em cada segmentação feita. 

Comissões 

Como o próprio nome sugere, nessa modalidade de lance, é possível definir uma comissão conforme a estadia do hóspede. Dessa forma, o pagamento é feito somente após a hospedagem, ou seja, depois do check-out, o que garante o fluxo de receita ao longo das campanhas ativas. 

O ponto para ficar atento nesse caso é o mínimo de 10 conversões semanais em cada campanha que é exigido pelo Google para manter as ações a todo vapor. 

Estratégias de lances do Google Hotel Ads
Estratégias de lances do Google Hotel Ads

Quero conectar meu meio de hospedagem, como fazer? 

Para que seu resort, hotel ou pousada faça o uso do Google Hotel Ads é muito simples! É preciso fazer o cadastro e estabelecer a conexão entre essa plataforma e o mecanismo de reserva do seu meio de hospedagem seguindo o passo a passo estabelecido na ferramenta. 

Assim que seu a conexão for estabelecida, você receberá uma notificação na conta do Google Ads para confirmar o uso dessa funcionalidade exclusiva. Após aceitar a conexão, seu login já está pronto para a criação de campanhas dentro do Hotel Ads. 

Mas antes, lembre-se que é mais do que necessário que seu site e motor de reservas estejam preparados para receber novos visitantes. Faça uma análise geral de toda a experiência que os usuários terão ao entrar no site até fechar a reserva no motor. 

Assim, você garante que esses novos visitantes tenham todo o caminho, desde o anúncio até o sistema de reservas diretas, bem claro e alinhado. 

Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 1
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 1
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 2
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 2
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 3
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 3
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 4
Criação de campanha no Hotel Ads: Passo 4

Como criar minha primeira campanha pelo Hotel Ads? 

Certo, o primeiro passo é fazer o login na sua conta de Google Hotel Ads e acessar a aba “campanhas”, após isso, clique no ícone de “+”, onde vai escolher a opção “criar uma campanha sem meta”, para começar na plataforma. 

Nesse momento, escolha a opção “hotel”, para contar com as funcionalidades do Hotel Ads, essa opção irá aparecer somente se você já tiver conectado sua conta do Google Ads com o Hotel Ads. 

Daí em diante, você definirá o limite de gastos da sua primeira campanha, qual a estratégia de lances que utilizará (CPC, eCPC ou Comissões), meta e modificadores dos lances, segmentação geográfica e tags de rastreamento.

Login em sua conta > Aba “campanhas” > Ícone “+” > “Criar uma campanha sem meta” > Opção Hotel > Configurações de sua primeira campanha > Publicação. 

O “último passo”, é fazer a publicação de sua campanha, mas não se esqueça que o trabalho não acaba por aí! Faça sempre um acompanhamento intensivo de como está desempenhando seus Ads, dessa forma conseguirá encontrar possíveis falhas que podem ser otimizadas, assim, evitará prejuízos e gastos desnecessários. 

Se ficou com alguma dúvida, você pode acessar a página do próprio Google sobre as campanhas de Hotel Ads e saber mais sobre essa ferramenta, basta clicar aqui.

Solicite um orçamento com a Tribuzana Marketing Hoteleiro

Quer começar a investir no Google Hotel Ads de maneira estratégica? Então você precisa solicitar um orçamento conosco. Nossos clientes e parceiros já estão com diversas campanhas ativas por meio dessa ferramenta, e temos certeza que você não quer ficar para trás. 

Por falar nisso, a Tribuzana Marketing Hoteleiro é uma agência especializada em atender meios de hospedagem que estão em busca de resultados reais que impactam o dia a dia da operação de um resort, hotel ou pousada.  

Marketing na hotelaria independente: Alcance os melhores resultados 

Marketing na hotelaria independente: Alcance os melhores resultados 

Segundo estimativas da pesquisa Hotelaria em Números realizada pela JLL, em 2021 a hotelaria independente representa cerca de 86,6% dos hotéis brasileiros. 

Mas isso não significa que gerenciar um hotel deste tipo seja uma tarefa simples, afinal o setor hoteleiro tem passado por transformações nas últimas décadas, principalmente com relação ao marketing, que ganhou novos ares com a entrada do digital. 

Contudo, este novo cenário também está repleto de oportunidades, mas é preciso saber aproveitá-las. 

Por isso, trouxemos este artigo exclusivo sobre este assunto, explicando o que difere a hotelaria independente das grandes redes, as particularidades deste setor e como o marketing pode contribuir para estes meios de hospedagem. 

Diferença entre hotelaria independente e hotelaria de rede

Com certeza você já viu um hotel da marca Hilton ou Four Seasons em algum filme, viagem ou até na sua própria cidade. Pois saiba que estes são exemplos da hotelaria de rede. 

Além do nome, o que caracteriza este tipo de estabelecimento é a padronização, ou seja, dentro da mesma categoria, tudo que tem em um quarto em Paris, terá em São Paulo, por exemplo. 

A principal vantagem deste modelo é que os hóspedes criam uma relação com a marca dando preferência para ela durante as suas viagens. Também, as redes proporcionam um apoio entre hotéis que fazem parte da mesma. 

Já a hotelaria independente, geralmente são negócios familiares com uma ou duas unidades que trabalham de forma única, oferecendo uma experiência personalizada para o hóspede, que deixa de ser a busca por algo familiar e passa a ser a procura pelo novo. 

No próximo tópico, vamos conhecer mais as singularidades deste tipo de estabelecimento. 

Particularidades da hotelaria independente 

Conheça as principais características que um hotel autônomo: 

Identidade única

Como já comentamos, um hotel independente não precisa seguir um padrão, então ele mesmo pode criar a sua própria marca seguindo os seus valores e a sua cultura. 

Uma pousada que fica próxima a uma área natural pode utilizar esta característica como um diferencial. Comentando em suas redes sociais sobre a fauna, por exemplo. 

Outro benefício deste tipo de hotel é atender a públicos específicos. Por exemplo: um hotel localizado no topo de uma montanha é o destino ideal para o turista que procura aventura. 

Ainda, há a vantagem de ofertar uma estrutura e serviços exclusivos, como um apartamento com teto de vidro. Uma ideia de serviço diferenciado seria uma sessão de massagem cortesia. 

Isso fará com que o seu meio de hospedagem seja desejado pelas experiências que proporciona, e não apenas pelo preço.

Contato próximo ao hóspede 

Se compararmos com uma rede hoteleira, onde existe um padrão até para a comunicação, em um estabelecimento independente há mais liberdade no contato com os clientes. 

Isso se reflete em todos os setores do hotel, pois como a equipe tende a ser reduzida é natural que tanto os hóspedes quanto o recepcionista, gerente e camareira se conheçam pelo nome. 

Este contato estreito com os clientes é o primeiro passo para a fidelização, pois ele se sente acolhido e passa a ver o hotel como a sua segunda casa. Logo, estando na cidade, não vai querer se hospedar em nenhum outro lugar. 

Cases de sucesso da Tribuzana Marketing Hoteleiro

Serviços personalizados 

Este é um complemento do benefício anterior, como os hotéis independentes costumam ser menores e atenderem um número reduzido de hóspedes, é mais fácil customizar o atendimento

Por exemplo: José é um hóspede habitué do hotel X, ele prefere que os ovos do café da manhã sejam fritos com a gema mole, sabendo disso, a cozinheira Sara já os prepara conforme o gosto do cliente. 

Este atendimento personalizado também impacta de forma positiva na experiência do hóspede, pois, com isso ele percebe o quão especial é para o hotel, o levando a considerar uma nova hospedagem no futuro. 

Ainda é uma ótima oportunidade de up-sell e consequentemente aumentar o seu ticket médio. Por exemplo: quando um hóspede faz uma reserva para comemorar algo com a sua esposa, você pode oferecer um pacote romântico, tornando experiência do cliente ainda melhor e fazendo com que o meio de hospedagem fature mais.

Dificuldades em realizar investimentos em marketing 

Quando pensamos em marketing, a hotelaria independente encontra mais obstáculos para conseguir fazer ações maiores e mais efetivas se comparados com as redes hoteleiras. 

Por isso, ela precisa fazer estratégias pontuais, porém, eficientes para conseguir se destacar no mercado. 

Também, como um hotel independente precisa construir a sua marca “do zero”, se faltar elementos como: 

As chances do empreendimento alcançar o sucesso, podem diminuir bastante. 

Mas se este é o seu caso, tenha calma. 

No próximo tópico temos dicas para você melhorar as suas estratégias de marketing e vendas. 

Táticas de marketing para hotelaria independente

Anote estas 3 dicas que separamos para você aumentar o número de hóspedes em seu meio de hospedagem. 

 Aplique o marketing de conteúdo 

As comissões pagas para as OTA’s sem dúvidas pesam bastante nas contas dos meios de hospedagem independentes, então fazer os  hóspedes realizarem as reservas direto com o hotel, pousada ou resort é a melhor alternativa. 

Para isso existem opções como: investir em anúncios pagos em plataformas digitais, que são uma ótima oportunidade para quem busca resultados imediatos. 

Outra alternativa é aplicar o marketing de conteúdo que é uma estratégia relativamente econômica e pode gerar dados por um longo período. Nesta tática você oferece materiais de valor para o seu cliente.  

Uma forma básica de fazer isso é através de um blog, em que você fala sobre opções de lazer no meio de hospedagem, fornece dicas de viagem, comenta sobre o destino, etc. 

Desta maneira você terá mais tráfego no site do seu hotel, pousada e resort e ainda aumenta as chances do turista lembrar do seu estabelecimento e escolhê-lo como local de hospedagem na sua próxima viagem. 

Crie uma estratégia para o seu público ideal 

Dar ao hóspede uma experiência excelente é fundamental para criar um relacionamento com ele. Mas vale reforçar que a experiência não se limita ao período da hospedagem, ela começa muito antes do check-in e vai até depois do check-out. 

Neste sentido, a própria maneira como o meio de hospedagem se posiciona fará toda a diferença, pois antes do cliente chegar ao hotel, uma expectativa gerada é importante que ela seja atendida. 

Por isso, ter estratégia de marketing hoteleiro bem estruturada e direcionada ao público ideal é fundamental, porque assim, o hóspede já saberá o que encontrar no seu meio de hospedagem e sentirá que é o melhor para ele se acomodar. 

Também, após o check-out, é importante alimentar esta relação através de uma pesquisa de satisfação, e-mails promocionais, etc. para que o cliente deseje reviver os momentos felizes que aconteceram no hotel, pousada ou resort. 

Utilizar a tecnologia como uma aliada do marketing 

Uma oportunidade que a tecnologia trouxe e pode beneficiar muito a hotelaria independente é a capacidade de obter dados. 

Com ferramentas como o RD Station, uma plataforma de automação e vendas é possível centralizar todas as informações dos seus hóspedes frequentes e também dos potenciais clientes. 

Desta maneira, você consegue desenvolver estratégias eficientes focadas no seu público, já que também é possível segmentar os clientes conforme as suas preferências. 

Por exemplo: se você atende tanto casais quanto famílias, você pode enviar um e-mail para o primeiro grupo apresentando os seus pacotes românticos e para o segundo um e-mail sobre as opções de recreação do hotel, pousada ou resort. 

Aliado ao RD Station, você pode utilizar chatbot como o Asksuite para colher informações dos hóspedes e automatizar o atendimento, agilizando os serviços. 

Além disso, é importante que você tenha um site que os hóspedes encontrem e desejem acessar. Logo, ter uma estratégia de SEO (otimização para mecanismos de busca) bem desenvolvida no seu site é um ponto-chave de uma excelente estratégia de marketing para hotelaria independente. 

Ainda, estar presente nas redes sociais que o seu público costuma acessar como Instagram, Facebook, Youtube de maneira consistente trará resultados positivos para o seu meio de hospedagem. 

Por isso, quando decidir as suas estratégias, lembre-se das possibilidades do marketing digital. 

Bônus: Faça uma parceria com a Tribuzana 

Somos uma agência especializada em marketing hoteleiro com 6 anos de atuação e uma metodologia única que irá aumentar as suas chances de atingir o que já citamos aqui: 

  • Mais reservas diretas. 
  • Aumentar o relacionamento com clientes. 
  • Fidelizar os seus hóspedes. 
Solicite um orçamento com a Tribuzana Marketing Hoteleiro

Temos uma equipe especializada que irá oferecer uma estratégia única para o seu meio de hospedagem.  

Então, solicite um orçamento agora e dê o primeiro passo para a sua nova estratégia de marketing hoteleiro. 

30 principais termos do marketing digital para hotelaria

30 principais termos do marketing digital para hotelaria

Para quem está pesquisando mais sobre o marketing para meios de hospedagem, ficar por dentro dos principais termos do marketing digital faz toda diferença. Pode não parecer quando vemos de cara siglas de 3 letras e palavras em inglês, mas compreender os conceitos dessa área é sim muito simples. 

Pensando em te ajudar nessa missão de conhecer mais sobre o marketing digital hoteleiro e seus diversos termos, nesse conteúdo compilamos um glossário completo de 30 expressões que irão aparecer muito no seu dia a dia. 

Ficou curioso? Então continue a leitura desse artigo até o fim! 

Inbound Marketing 

Vamos começar por uma das principais estratégias do marketing digital, o Inbound Marketing. Em uma tradução livre, ele significa “Marketing de atração” e consiste justamente nisso. Nessa estratégia, a ideia é chamar atenção dos leitores com conteúdos relevantes para o que ele está buscando e criar um sentido de identidade com a marca. 

Conheça mais sobre o Inbound Marketing Hoteleiro, clicando aqui

Persona  

De maneira geral, as personas são personagens semi-fictícios que representam o seu cliente ideal. Elas são criadas a partir de dados e informações que você tem do seu público-alvo, e envolvem especificações como idade, profissão, necessidades, angústias e comportamento online. 

Lead  

Um lead, nada mais é do que um visitante que compartilhou alguns dados com você e entrou para sua base de contatos. Para ser um lead, você precisa conhecer com quem está falando, ou seja, precisa do nome, e-mail, e outras informações que solicitou no momento da conversão. 

Oportunidade 

As oportunidades são pessoas da sua base que estão no momento propício para fechar a compra. Elas funcionam como uma evolução do lead, já que possuem o interesse e se demonstram interessadas no que sua empresa tem a oferecer. 

Conversão  

A conversão é justamente o processo que ocorre na passagem entre visitantes para leads, e leads para oportunidades. Necessariamente, um visitante converte para lead quando compartilha seus dados, e depois, converte para oportunidade quando se está no momento da compra. 

Funil de vendas 

O funil de vendas é uma forma prática encontrada para entender o quão próximo um visitante está de se tornar um cliente real de sua empresa, passando a ser um lead e oportunidade também. Ele é dividido em 3 etapas distintas: Topo, meio e fundo. A ideia é fazer com que esses visitantes avancem gradativamente entre as etapas até se tornarem um comprador de seus produtos/serviços. 

Jornada de compra 

A jornada de compra se assemelha muito ao funil, mas serve muito mais para desenharmos o caminho percorrido por um possível cliente até fechar uma compra. Nela, temos 4 principais categorias: 

  1. Aprendizado e descoberta: Seu cliente justamente descobre que tem uma nova necessidade que surgiu a partir de um gatilho que leu ou assistiu em algum lugar; 
  2. Reconhecimento do problema: Depois de encontrar um “problema”, ele começa a reconhecer procurar por soluções, no caso, produtos e serviços que atendam suas necessidades; 
  3. Consideração da solução: Aqui é preciso fazer uma apresentação muito mais específica do que sua empresa oferece para solucionar as dificuldades do possível cliente; 
  4. Decisão de compra: Momento crucial onde seus serviços ou produtos são escolhidos pelo novo cliente. 

Em alguns segmentos específicos, como na hotelaria, essa jornada é desenhada de uma maneira bem diferente. Inclusive, temos um artigo completo sobre a Jornada de Compra na Hotelaria, fique à vontade para ler esse conteúdo e compreender mais sobre essa estratégia. 

AIDA  

AIDA é um dos termos do marketing digital e significa: Atenção, Interesse, Desejo e Ação. É um modelo do comportamento humano que deve ser levado em conta na sua produção de conteúdos para sua base de contatos ou visitantes. Busque sempre chamar atenção, atender os interesses, despertar desejo e fazer uma chamada para ação dos seus leitores. 

Landing page 

As landing pages são páginas criadas para conversão de visitantes em leads através de formulários pré-programados. A partir delas, você pode oferecer materiais ricos ou até mesmo utilizar para solicitar orçamentos, em troca dos dados de seus visitantes. 

Pop-ups 

Utilizados também para converter novos leads, os pop-ups aparecem nas páginas de seu site. A grande ideia é oferecer exatamente o que o leitor quer e chamar atenção o mais rápido possível, já que os pop-ups podem ser fechados rapidamente. 

CAC 

Entrando na série de siglas de 3 letras, o CAC é o Custo de Aquisição de Clientes. Ele é um cálculo que traduz quanto é gasto para aquisição de cada cliente da empresa. Esse cálculo é muito importante para ter em mente quanto está sendo gasto para que cada novo cliente seja integrado a empresa. 

LTV 

LTV ou Lifetime Value, traduzido para nosso bom português como: Valor Vitalício do Cliente. Esse valor é muito importante para tirarmos uma média de quanto é possível arrecadar de cada cliente, até que deixe de usar seu produto/serviço. 

ROI 

O Retorno Sobre Investimento, ou ROI, é um cálculo que nos diz se os investimentos feitos em marketing estão dando lucros ou prejuízos para a empresa em questão. Dessa forma conseguimos definir somente as ações mais lucrativas. 

Materiais educativos da Tribuzana Marketing Hoteleiro

KPI’s  

AS KPI’s ou Indicadores-chave de performance, esses indicadores nos ajudam a compreender a eficiência das estratégias. As KPI’s vão além de números frios, elas nos dão uma visão aprofundada de fraquezas e oportunidades do seu negócio. 

Métricas 

As métricas funcionam de maneira diferente das KPI’s, já que são utilizadas para medir os resultados de marketing e vendas das empresas, através de dados e números de comparação. 

Métricas de vaidade  

Métricas de vaidade são justamente os dados que não devem ser seguidos para acompanhar os resultados de sua empresa. Geralmente, um bom exemplo são as curtidas em redes sociais, que não nos traduzem exatamente a qualidade de suas ações. 

CTA’s 

CTA’s ou Chamadas para ação, é como chamamos qualquer tipo de interação inserida propositalmente para fazer o leitor dar o próximo passo. Botões, links de orçamento, banners com materiais ricos. A ideia dos CTA’s é ser irresistível para convencer o leitor a clicar e avançar na sua estratégia. 

Teste A/B 

Como o próprio nome sugere, eles são testes de diferentes abordagens onde conseguimos mensurar qual versão de um mesmo material tem o melhor resultado. Os e-mails, por exemplo, são muito comuns para testes A/B, onde testamos dois assuntos diferentes no mesmo e-mail para ver qual tem taxa de abertura maior. 

SEO 

Muito conhecido por influenciar diretamente no marketing de conteúdo no Google, o SEO é peça vital quando pensamos em alcançar as primeiras posições de um artigo ou página de site nos mecanismos de pesquisa. As regras de SEO abrangem diversos aspectos, que devem ser levados em conta quando o objetivo é ranquear bem seu site. 

Keyword 

Não podemos falar do SEO sem citar as keywords ou palavras-chave. Elas são fundamentais para quem almeja o topo do Google. Todos os conteúdos devem possuir uma boa palavra-chave e utilizar ela com naturalidade ao longo do material, no título, introdução, subtítulos e descrição. 

No nosso caso, a palavra-chave desse artigo que está lendo é Termos do marketing digital, e você pode notar o quanto ela aparece no conteúdo. 

Link building 

O Link building é outra ótima maneira de melhorar o SEO de seus artigos de blogs e páginas. Ele nada mais é do que a conexão entre diversos conteúdos por meios de links internos nos seus materiais. 

Quer um ótimo exemplo de link building na prática? Clique aqui e acesse um artigo completo sobre 14 dicas de marketing hoteleiro. 

Tráfego pago e orgânico  

Seguindo nossa lista de termos do marketing digital, vamos falar sobre os tipos de tráfego que temos. O orgânico é todo e qualquer acesso direto feito pelo Google, sem interferência de mídias pagas. Já o tráfego pago, como o nome sugere, são os acessos feitos através de anúncios. 

CPC  

Quando falamos em anúncios pagos, tema muito relacionado com o tópico de cima, o CPC é um dos principais dados que envolvem essa estratégia. CPC ou Custo Por Clique, é a maneira de mensurar quanto foi gasto para cada clique que você recebeu no seu anúncio, esse é um número muitas vezes encontrado facilmente nos gerenciadores de anúncios do Google ou redes sociais. 

Vendarketing  

Vendarketing é um criado a partir de duas outras palavras: Vendas e Marketing. É justamente a união entre os dois setores e o uso de estratégicas de maneira comunicativa e colaborativa entre as duas áreas. Aqui na Tribuzana temos um artigo completo sobre marketing e vendas, leia mais clicando aqui

Engajamento  

Conhecido por ser um dos principais termos do marketing digital, o engajamento é a forma utilizada para medir a interação dos usuários com suas ações e campanhas online. Apesar de ser muito atribuído às redes sociais, ele também pode ser mensurado em e-mails e blogs, por exemplo. 

CRM 

Customer Relationship Management, CRM ou gestão de relacionamento com o cliente é uma ferramenta utilizada para acompanhar e gerir como está a comunicação entre empresa e cliente, além de centralizar todas as informações sobre sua base de contatos. 

Slow content 

O slow content é algo que vai de encontro com algumas estratégias mais atuais, onde conteúdos dinâmicos e rápidos devem ser priorizados. Na verdade, ele é completamente contrário a isso, o Slow content são os conteúdos mais lentos e densos, com maior riqueza de conteúdos. 

Remarketing 

O remarketing são as ações direcionadas especificamente para o público que já demonstrou interesse nos seus produtos/serviços, mas não fechou a compra no primeiro contato. A partir disso, são feitas campanhas para o convencer de que agora ele já está pronto para o que seu negócio oferece, com uma linguagem mais direta. 

Sitemap 

Sitemap é o mapeamento de um site em todas as suas camadas, desde navegabilidade até desempenho geral. Ele geralmente é feito em arquivos de backup, com uma leitura da planta do seu site. 

UX 

E para finalizar essa lista de termos do marketing digital, vamos falar sobre UX, ou experiência do usuário. Ela deve ser levada em conta para a todo instante, já que influencia diretamente na impressão do público sobre seus materiais e serviços prestados. 

Já conhece os 30 principais termos do marketing digital para hotelaria? Então agora chegou a hora de aprofundar seus estudos e ler mais sobre estratégias que podem impactar diretamente seu meio de hospedagem a crescer e obter resultados reais!  

Entre no blog da Tribuzana Marketing e leia mais de 50 artigos escritos por especialistas na área agora mesmo. 

Ahh, e não se esqueça de salvar o link desse conteúdo para ler a qualquer momento caso tenha dúvida sobre algumas das expressões que citamos acima. 

Solicite um orçamento com a Tribuzana Marketing Hoteleiro
Guias de viagem: Uma estratégia de sucesso para geração de leads

Guias de viagem: Uma estratégia de sucesso para geração de leads

Guias de viagem são ótimas ferramentas para organizar as férias perfeitas, mas você sabia que eles também podem trazer um benefício valioso para os meios de hospedagem que os produzem? A geração de novos leads. 

A partir desses materiais, você consegue coletar dados e informações sobre seu público e crescer a base de contatos de seu resort, hotel ou pousada. 

Quer saber como implementar essa estratégia em seu negócio? Pode deixar que vamos contar tudo a seguir! Boa leitura. 

Geração de leads: Qual a importância? 

Para quem não está por dentro dos termos do marketing digital, os leads nada mais são do que contatos da sua base. É para seus leads que enviará e-mails marketing com ofertas, conteúdos exclusivos, entre outras ações específicas para esse público. 

Para entender mais sobre essa estratégia, é preciso compreender como funciona um funil de vendas, que inclusive temos um artigo específico sobre que você pode ler clicando aqui. Feita essa leitura, saiba que para converter visitantes em leads, é preciso ter algumas informações vitais, como nome e endereço de e-mail, e outras complementares que te ajudarão a entender esse novo lead, como idade, profissão e intenção da viagem, que irão variar de acordo com sua estratégia. 

Coletando esses dados, você terá uma base de leads rica, onde a partir daí será necessário manter o relacionamento e preparar cada contato para o momento da venda, ou no caso, para reservar com seu meio de hospedagem. 

Guias de viagem: Quais os formatos que devo investir 

Bom… agora você já sabe o porquê gerar novos leads, mas como coletar esses dados? É aí que entram em ação nossos guias de viagem! Digamos que esses materiais são a recompensa que o futuro cliente irá receber por compartilhar as informações dele com você. 

Será necessário divulgar landing pages, onde os visitantes irão preencher um formulário com campos personalizados e programados por seu time, em troca de adquirir um guia que o ajudará a organizar as férias. 

Toda a divulgação é feita em cima dos benefícios que cada material rico desses trará para o futuro viajante, por artigos de blog, redes sociais e anúncios pagos. Mas será que você conhece os principais formatos de guias de viagem para já começar a planejar seu primeiro conteúdo? Confira a seguir: 

Guias de viagem

Checklists: Simples, práticos e eficientes 

Os checklists são os mais básicos entre esse formato de material. Eles podem ser produzidos de maneira prática, com listas simples que ajudarão os viajantes a se prepararem para viajar em breve. 

Um ótimo exemplo de checklist para montar um guia de viagem pode ser: “Checklist – Todos os itens que você não pode esquecer ao organizar as bagagens”. Onde você irá deixar pronto a lista para que seu lead tenha acesso a ela e se organize com maior facilidade, em troca, é claro, dos dados que citamos anteriormente. 

Materiais educativos da Tribuzana Marketing Hoteleiro

Infográficos: Uma ótima forma de investir em guias de viagem 

Infográficos são ótimos para agrupar um conteúdo rico em apenas uma página, eles podem ser feitos tanto na vertical, quanto na horizontal, onde você irá trabalhar diferentes temas que incentivem os leitores a viajar. Além disso, nos infográficos, o apelo visual se faz mais do que necessário, por isso, não esqueça de valorizar o material com lindas imagens. 

Por exemplo: “Mapa de passeios para curtir em suas férias”. Esse é um exemplo bastante básico, vai de sua criatividade pensar em temas e abordagens que sejam do interesse do seu público. 

E-books: Conteúdos mais densos e ricos 

Talvez esse seja o formato mais conhecido de guias de viagem. Os eBooks são ótimos para agrupar uma grande quantidade de conteúdo, sempre dividindo em diferentes páginas. Quem está pensando em fazer um guia de viagem completo para seus seguidores, deve considerar os eBooks como opções viáveis, já que eles são muito bem aceitos pelo mercado. 

Um bom eBook pode contar com diversas camadas de conteúdo, contando desde a história do seu destino, até a listagem de tudo o que tem disponível para que o viajante aproveite as férias. 

marketing hoteleiro

Utilize o seu destino nos guias de viagem 

Como bem deu para perceber, por mais que temos alguns formatos principais para seus materiais ricos, o que irá variar bastante é a temática e sua criatividade na construção de cada um. O destino em que você está localizado é uma ótima maneira de começar!  

Procure sempre explorar os atrativos, passeios e pontos turísticos que mais chamam atenção de seus hóspedes, e traga isso para dentro de seus guias de viagem, sempre com diferentes abordagens. Pesquise referências de como seus concorrentes estão utilizando os guias de viagem para gerar leads e adapte para a sua realidade e seu destino. 

Se em sua cidade a prática de esportes radicais é o atrativo mais procurado, explore isso ao máximo para oferecer aos seus seguidores um material completo que os ajude a organizar as férias com esportes incríveis. 

E depois que eu gerar leads, o que faço? 

Agora você já sabe o que é um lead, para que ele serve e como gerar eles com guias de viagem, ok? Mas e depois disso, o que eu faço com esses novos leads? Agora vem uma etapa fundamental no Inbound Marketing Hoteleiro: o relacionamento com o cliente

Depois de atrair leads, é preciso se relacionar com eles para que se tornem oportunidades de vendas e, consequentemente, hóspedes. Para isso, você precisa pensar em estratégias de marketing de conteúdo através de um planejamento de marketing completo

Lembre-se, nessa etapa o seu foco é manter o relacionamento, por isso, abordagens comerciais precisam ser muito bem pensadas para serem introduzidas no momento certo, quando seu lead está pronto para comprar. 

Solicite um orçamento com a Tribuzana Marketing Hoteleiro

Para que todas essas ações e processos sejam implantadas em seu meio de hospedagem, você precisa contar com o auxílio de especialistas em marketing hoteleiro, e quem seria melhor para isso do que a Tribuzana

Atuamos atendendo resorts, hotéis e pousadas há mais de 6 anos, e ao longo dessa jornada desenvolvemos uma metodologia própria de trabalho, com estratégias próprias para a hotelaria. Solicite um orçamento conosco e dê o primeiro passo para ter uma equipe de especialistas ao seu lado em busca de seus próximos objetivos.